falls-in-elderly-causes-prevention

Como funciona o detetor de quedas dos dispositivos pulseiraSOS.pt?

As quedas são bastante comuns entre os idosos. Uma em cada três pessoas com 65 anos ou mais cai a cada ano. E uma vez que uma pessoa tenha caído, é mais provável que ela caia novamente.

As quedas muitas vezes levam a lesões, algumas das quais são graves e requerem hospitalização. As quedas prejudiciais são a principal causa de mortes relacionadas a acidentes entre os idosos. Muitos que já caíram anteriormente também desenvolvem medo de cair. Como resultado desse medo, eles perdem a autoconfiança, evitam atividades físicas e sociais e tornam-se menos independentes. Cerca de um em cada dez idosos tem medo de sair de casa com medo de cair novamente.

Acontece frequentemente em séniores e idosos caírem, e ficarem bastante tempo no chão sem conseguir pedir ajuda. As soluções de dispositivos SOS que disponibilizamos estão desenvolvidas para ter um papel importante nestas situações.

Este artigo serve para explicar e clarificar o princípio de funcionamento do detetor de quedas das soluções de dispositivos SOS disponíveis em pulseiraSOS.pt.

Dispositivos com função detetor de quedas incorporado:

  • Pulseira SOS V048
  • Pingente SOS V051
  • Relógio SOS V046
  • Pendente SOS V045 (descontinuado)

Como funciona?

O detetor de quedas é, na realidade, um sensor de movimentos. Ele vai detetar um movimento mais repentino, e irá assim iniciar os contactos de SOS sem que o utilizador carregue em qualquer botão.

Esta função é configurada através da app, pode estar ativada ou desativada.

Pode ligar, desligar esta funcionalidade nas Definições em Interruptor alarme queda e ajustar a sua sensibilidade em Configuração nível alarme queda de Nível 0 até Nível 6: quanto maior o nível, menor a sua sensibilidade: isto significa que o nível 0 é muito sensível e o nível 6 menos sensível.

O alarme de queda será acionado quando existir um movimento ou impacto mais brusco do que o nível de sensibilidade definido.

Qual o nível ideal?

É importante perceber o nível de sensibilidade que se ajuste ao estilo de vida de cada utilizador, para encontrar o equilíbrio entre a possibilidade de o dispositivo gerar falsos alarmes desnecessários e inconvenientes mas tabém que seja capaz de detetar um verdadeiro perigo.

Certo é que nem sempre um movimento brusco implica uma queda, e nem sempre uma queda implica um movimento brusco. Por isso há que considerar que apesar de poder ser decisivo este sistema pode não ser 100% infalível.

Por isso há também que considerar que em caso de falso alarme, o utilizador pode carregar no botão para cancelar o início de contacto SOS.

Em sentido contrário, em caso de real emergência que não tenha sido captada pelo sensor, o utilizador estando consciente e capaz, deve pressionar o botão de SOS iniciando o pedido de ajuda.

Este artigo foi redigido em Março de 2023 e os dispositivos e o sistema de alarme de queda poderá vir a sofrer algum tipo de evolução diferente daquilo que foi aqui explicado.

Partilhar esta página:

Publicações Similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *